Movimento Nacional Fé e Política celebra 32 anos

Movimento Nacional Fé e Política celebra 32 anos

“Eu vi, eu vi uma chama se acender e o coração do meu povo aquecer!” Com muita alegria, evocando São João para acender a fogueira e em sintonia às famílias de todas as vítimas da Covid-19 no Brasil, Zé Vicente, Raquel Passos e equipe iniciaram a celebração no domingo 20 de junho, que marcou as comemorações dos 32 anos de caminhada do Movimento Nacional Fé e Política. Com transmissão ao vivo no canal do Youtube e na página do facebook do Movimento, pessoas de várias regiões do país puderam participar comentando e acompanhando todo o evento. A celebração reuniu as e os integrantes da coordenação ampliada do MNFP.

Como “Lutar não foi em vão” e nunca será, o monge beneditino Marcelo Barros refletiu sobre a leitura das bem-aventuranças e o papel das e dos profetas. “Ser profeta não é título. É missão, missão de ser portador da Justiça de Deus, Deus como Justiça.” Marcelo ressaltou que o mundo está mais sofrido se comparado à época em que o Movimento foi criado: “Nem na ditadura tivemos 500 mil pessoas mortas pelo desgoverno, pelo desleixo. Vivemos num país com apoio ao fascismo, à estrutura racista, escravagista.” Finalizou apontando que somos chamados nesse tempo de angústia e aflição a sermos profetas da alegria e da bem-aventurança de Deus. “Vamos em frente e ninguém larga a mão de ninguém!”.

A caminhada

A celebração trouxe à memórias as marcas da trajetória do Movimento. Pedro Ribeiro recordou seu surgimento em 24 de junho de 1989, após dois anos de debates sobre o papel do cristão na política e na defesa dos direitos humanos. Naquela conjuntura um pequeno grupo começava a vislumbrar um novo tempo, mais participativo, e se encontrava no Centro de Direitos Humanos de Petrópolis. Ele frisou que, apesar das diferentes maneiras de participação política dos integrantes, o Evangelho e a consciência de estar ao lado dos pobres unia o grupo. A mesma mística segue até hoje: “Fé no reino, ética na política e defesa dos pobres.”

Em seguida, Frei Betto elencou algumas coordenadas que ajudaram a criar a identidade e a afastar fundamentalistas e pessoas que não tinham a mesma afinidade. Enfatizou a não confessionalização da política: “os quadros devem ser escolhidos pela ética, compromisso e amor ao povo” e a não partidarização da religião, uma vez que o movimento é inter-religioso. Afirmou que Jesus trouxe um novo projeto político civilizatório, subversivo. Finalizou reforçando a urgência do retorno ao trabalho de base e a aproximação à juventude.

O momento também resgatou os grandes encontros, seminários e retiros nacionais. Teresinha Toledo, Cláudio Vereza e Tereza Cogo falaram dessas ações que fizeram o Movimento alcançar um grande número de pessoas, oferecendo espaços celebrativos e de construção coletiva. Nesse passeio pelo tempo, os estudos sobre o Bem-Viver, experiência de origem andina, como um novo paradigma de uma nova sociedade; a subida do Movimento para o Nordeste do país; o surgimento de ações regionais, como encontros de escolas e grupos de fé e política foram apresentados como frutos desses 32 anos de semeadura do movimento.

Desafios e esperanças

O momento também trouxe à luz os desafios do Movimento. Sobretudo os desafios trazidos com a pandemia a partir de 2020: um forte clamor pela preservação da Vida, o combate ao avanço do agronegócio e ao desmatamento. E ainda: a formação numa ótica mais popular, o ecumenismo, a comunicação e a limitação dos recursos financeiros.

Como sinais de esperança e profecia, os integrantes da coordenação ampliada apresentaram ações práticas espalhadas pelo país como inserção em iniciativas de combate à fome, exclusão social e projetos de diálogos com a juventude.

Assim como a caminhada do movimento nacional, toda a celebração foi entrelaçada com mística, música, poesia e arte. Para o envio à missão, todas e todos foram convidadas/os a manter a luz acesa, a continuar a escrever as próximas páginas da história do Movimento, sempre com esperança em um momento novo, “força que hoje faz brotar a vida”.

Celebre com o Movimento Nacional Fé e Política!
Assista no canal do Youtube:
https://www.youtube.com/watch?v=Lusoy_PAEow

Fonte: Movimento Nacional Fé e Política