Plenária Emergencial: Mutirão pela Vida

Plenária Emergencial: Mutirão pela Vida

A 6ª Semana Social Brasileira (SSB), por meio da Comissão Episcopal Pastoral para Ação Sociotransformadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), realizou na manhã do dia 03 de fevereiro, a reunião emergencial e virtual, com a pauta a partir da conjuntura social, política e econômica do mundo e do Brasil, e as consequências da pandemia da Covid-19, na vida povo.

Participaram membros da coordenação ampliada da 6ªSSB; referenciais da 6ªSSB dos regionais da CNBB; bispos da Comissão Episcopal Pastoral para Ação Sociotransformadora e do Grupo de Trabalho Pacto pela Vida e pelo Brasil; secretários/as ou coordenadores/as das pastorais sociais e organismos; Comissões Episcopais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil; Movimentos populares; Rede Eclesial Pan-amazônica e organizações católicas de cooperação (nota: o Movimento Nacional Fé e Política também esteve presente).

Da plenária, foram tirados encaminhamentos para ações comuns:

Somar-se às quatro articulações que atuam na pauta comum.

  1. As duas frentes: Brasil Popular, Povo Sem Medo e sindicatos e partidos políticos de oposição do governo Bolsonaro.
  2. Pacto pela vida e pelo Brasil – CNBB e OAB;
  3. Comitê pelo Brasil (nome provisório) – Comissão Brasileira de Justiça e Paz;
  4. Pacto pela democracia.

E está em processo a peça (documento) do impeachment, proposta por líderes religiosos católicos e evangélicos. O pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro tem como peça central o “manejo criminoso das políticas sanitárias durante a pandemia”. O pedido foi apresentado à Câmara dos Deputados no dia 26 de janeiro, mas ainda aguarda a assinatura digital. Hoje (3), haverá uma reunião para maior articulação das lideranças cristãs.

As pautas comuns dialogadas na plenária foram:

#Vacinajá

#Auxilioemergencialjá

#Impeachmentjá

Foram sugeridos os seguintes encaminhamentos

  • Realizar vigílias entre 20 e 21 de fevereiro em torno dessa agenda comum;
  • Estudar a peça (documento) do impeachment apresentada pelas igrejas cristãs e traduzir o documento em linguagem popular para maior divulgação: https://ssb.org.br/biblioteca/
  • Todos os coletivos se comprometem em divulgar a peça do impeachment apresentada pelas igrejas;
  • Criar comitês estaduais ou regionais para operacionalizar as diversas ações;
  • Ampliar o debate com as bases.  Potencializar, por exemplo, a Campanha da Fraternidade 2021 para esse diálogo;
  • Divulgar massivamente os materiais, abaixo assinado etc. da Campanha Auxílio Emergencial Já e também o fato que há recursos públicos para garantir a continuidade do pagamento desse auxílio https://www.auxilioateofimdapandemia.org/
  • Ampliar a articulação em torno de uma estratégia de comunicação unificada que chegue ao Brasil profundo (por exemplo, ampliar a divulgação desses conteúdos pelas rádios comunitárias.);
  • Usar uma linguagem que fala direto ao povo: governo assassino, desumano, etc.;
  • Reforçar a luta em defesa do Sistema Único de Saúde;
  • Fortalecer e divulgar a campanha Amazoniza-te da Rede Eclesial Pan-amazônica;
  • Reforço à agricultura familiar e a economia solidária nas campanhas de combate à fome em especial a lei 735/2020 Assis Carvalho;
  • Reforçar a luta pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/2020, que altera disposições sobre servidores, empregados públicos e organização administrativa;
  • Apoiar e pressionar pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as ações do governo federal no combate à pandemia do novo coronavírus;

Fortalecer e participar do calendário já definido:

  • 06/02 – Dia Nacional de Solidariedade e luta pelo auxílio emergencial;
  • 15 e 16/02 – Agitprop com as pautas comuns (Agitação e propaganda, expressas pela arte, a literatura, a música, etc.;
  • 19/02 – Reunião da Coordenação Nacional de articuladores do Grito;
  • 20 ou 21/02 – Indicativo de Carreata Massiva e atos ecumênicos
  • 08/03 – Dia Internacional de Luta das Mulheres.

 

Ao final da plenária, dom José Valdeci Santos Mendes, bispo de Brejo (MA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Ação Social Transformadora da CNBB, motivou a plenária e caminhar na fé e esperança. “Não tenhamos medo, vamos alimentar a coragem somando as forças. Vamos seguir no sonho coletivo, construído em mutirão”, animou o bispo.