Encontro do Movimento Fé e Política do Rio Grande do Sul

Participantes do encontro do Movimento Fé e Política do Rio Grande do Sul
Participantes do encontro do Movimento Fé e Política do Rio Grande do Sul
Participantes do encontro do Movimento Fé e Política do Rio Grande do Sul

Aconteceu o Encontro do Movimento Fé e Política do Rio Grande do Sul, no dia 4 de maio de 2019, no auditório do Centro dos Professores do RS (CPERS), com o tema: DEMOCRACIA, POLÍTICAS PÚBLICAS E BEM VIVER. Com cerca de setenta participantes, membros do Conselho de Leigos/RS, da Pastoral Carcerária e outras pastorais sociais, Coordenação e CEBs/RS e do Coletivo Igreja em Saída/RS.

O Encontro começou com a Mística do Grupo Arte e Cultura Popular, ligado à Pastoral do Menor, da Paróquia da Santíssima Trindade, do bairro Farrapos de Porto Alegre, sob coordenação da Professora Mari: músicas, capoeira, danças e uma forma de apresentação das pessoas presentes através das palavras AMOR e VIDA. Seguiu-se um histórico dos 30 anos do Movimento, completados em 2019, e um levantamento de ações, encontros, atividades previstas para o próximo período, em especial em 2019, dos diferentes grupos e pastorais presentes.

Na sequência do dia, Daniel Seidel, da Coordenação Nacional do Movimento Fé e Política, coordenou as reflexões e os debates sobre a DEMOCRACIA FERIDA E AS GUERRAS HÍBRIDAS – as guerras de quarta geração -, AS POLÍTICAS PÚBLICAS TRANSFORMADAS EM MERCADORIA – o fim das políticas públicas com participação popular – e A LÓGICA DO BEM VIVER – entender a Terra como sujeito da História.

Os trabalhos de grupo realizados sugeriram como ações e sujeitos. Principais conclusões e propostas do grupo do tema Democracia: a ocupação dentro dos espaços, Conselhos e serviços existentes pelos indivíduos e pessoas; a democracia como soberania popular; Lula Livre. Conclusões do grupo Políticas Públicas/Campanha da Fraternidade: garantir cumprimento das políticas constitucionais; resgatar a importância de fazer política; revogação da PEC/95; controle cidadão sobre as políticas públicas; Igreja em Saída, com trabalho de base; formação e integração dos grupos de reflexão.

Conclusões do grupo Bem Viver: Aprofundar o diálogo com povos indígenas, originários e tradicionais; a animação trazida pelo Papa Francisco; processo em andamento, somos sujeitos de mudanças;

Agenda: Comunhão com o Sínodo da Amazônia.

Decidiu-se fazer um próximo Encontro, possivelmente em 2019, com reflexão sobre os temas da Amazônia, a partir do Sínodo da Amazônia.

por Selvino Heck
Membro da Coordenação Nacional do Movimento Fé e Política