O MF&P se prepara para a nova conjuntura

O MF&P se prepara para a nova conjuntura
Reunião da coordenação do Movimento Nacional Fé e Política, Vitoria-ES

Após celebrar seus trinta anos de existência durante o 11º Encontro Nacional, o MF&P percebeu que, assim como para os equipamentos de informática, era chegada a hora de atualizar seu sistema de funcionamento. A Coordenação convidou pessoas que sabia serem atuantes nas bases locais e em entidades parceiras – CEFEP, CESEEP, NESP e Iser-Assessoria – para ajudar a projetar os próximos anos do Movimento. Com esse propósito, reuniram-se vinte pessoas durante os dias 7 a 9 de fevereiro, em Manguinhos – Serra/ES. No ambiente de praia, animadas pela oração e pela celebração dos setenta anos de Cláudio Vereza, um de seus fundadores, elas decidiram reconfigurar o MF&P para, em fidelidade à Carta de Princípios, fazer face às novas realidades de nosso tempo.

Faço aqui um breve resumo dos encaminhamentos tomados.

Reafirmamos a identidade do MF&P, “que tem na política uma dimensão fundamental da vivência de sua fé e na fé o horizonte último de sua utopia política”. Situado na tradição oriunda do movimento socialista e do Concilio Vaticano II, ele tem por missão difundir e alimentar a Espiritualidade Político-Libertadora. Apesar das dificuldades práticas de ampliação fora do campo de origem católica, insistimos no seu caráter ecumênico, aberto a todas as concepções religiosas comprometidas com a construção de uma sociedade alternativa ao capitalismo e com as “causas dos pobres, dos oprimidos e dos excluídos”. Em torno a essa identidade criou-se um campo onde grupos, escolas e coletivos podem se comunicar e se confirmar na caminhada, como se dá por ocasião dos Encontros Nacionais.

É claro que ao longo dos seus 30 anos de existência o MF&P atravessou fases bem diferentes. Daí a importância de fazermos a memória dessa caminhada. Os primeiro dez anos – de 1989 a 1999 – deram os fundamentos da relação entre Fé e Política, depois reunidos em livro. As duas décadas seguintes – 2000 a 2019 – foram marcadas por 11 Encontros Nacionais, entremeados por seminários e retiros para as pessoas que compunham o núcleo dinamizador do Movimento. Hoje constata-se grande diversificação nas formas de atuação política no campo cristão e evidencia-se a necessidade de um polo articulador capaz de animar os grupos, escolas e coletivos que estão nessa caminhada.

Em outras palavras, trata-se de criar uma rede que faça circular ideias, experiências e muitas formas de expressão que alimentam espiritual e teoricamente os grupos locais ou regionais, porque eles se sentem pequenos diante da complexidade do atual quadro político. Por sua experiência histórica, o Fórum Social Mundial é uma referência importante, mas o polo articulador em nosso campo de atuação terá características próprias para exercer sua capacidade convocatória e mobilizadora, respeitando a autonomia dos grupos de base e a diversidade de sua composição religiosa. Tendo em vista essa especificidade, vamos envidar esforços nas conversas preliminares – a convite do CEFEP, em março – para pavimentar o caminho da criação da rede nacional de Fé e Política. O NESP foi indicado como a entidade mais apropriada para convocar a convenção na qual poderá surgir a rede.

O MF&P se propõe a participar, juntamente com entidades congêneres, do processo de construção do polo articulador – ou nodo central – dessa rede. Para isso precisa dar um novo formato à sua Coordenação nacional, tornando-a mais compacta e dinâmica. A atual equipe de coordenação, composta por um núcleo que assumiu o Movimento desde a fundação mais duas pessoas que tivessem feito parte da coordenação de cada Encontro Nacional, foi perdendo efetividade: sua composição crescia a cada ENFP e, dado o custo econômico das viagens, ficava difícil tomar decisões. Tendo presente os riscos de uma excessiva institucionalização do Movimento, que desde o início buscou ser espontâneo e autogestionado – pois todos os seus membros prestam serviço voluntário exceto para algumas atividades de secretaria – o grupo decidiu reconfigurar-se. Foram estabelecidas duas instâncias de coordenação: uma Executiva composta por 8 a 10 pessoas, com mandato de 3 anos renovável uma vez, e uma Ampliada composta pelos atuais membros e por pessoas que passam a integrá-la por estar nessa reunião ou por – não tendo podido comparecer – participar efetivamente das atividades do MF&P.

Assim reconfigurado em suas instâncias de coordenação, o MF&P espera estar à altura de sua proposta de compor, juntamente com outras entidades, o polo articulador da futura rede de Fé e Política. É por meio dessa potencialização das forças cristãs atuantes na política, na sociedade, na cultura e na economia, que defenderemos a Vida em toda a Terra e faremos face ao projeto de necropolítica hoje instalado em nosso País e em outras partes do mundo.

Sem medo de lutar para ser feliz, confiantes na força da Ressurreição, estamos preparados para a próxima década de existência.

Pedro A. Ribeiro de Oliveira - Membro da Coordenação Nacional
Pedro A. Ribeiro de Oliveira – Membro da Coordenação Nacional – Juiz de Fora MG