ÁGUAS DA PRIMAVERA E SEMENTES DE ESPERANÇA

ÁGUAS DA PRIMAVERA E SEMENTES DE ESPERANÇA

Boa nova. Chego em Campina Grande sexta de manhã, volta a Brasília só na segunda, ‘seco’ por um chimarrão. Eis que, no meio das apresentações dos participantes da reunião, entra alguém com uma cuia na mão, chimarrão pronto, para me salvar. Era o Chico Esvael, gaúcho de Bagé, ‘perdido’ na Paraíba, músico e teólogo anglicano. A cuia da solidariedade, do companheirismo, da hospitalidade circulou de mão em mão, quente como o coração quente de esperança e fé das lideranças, padres, pastores e agentes de pastoral presentes.

Boa nova. Acontecia a reunião da Coordenação Nacional do Movimento Fé e Política e da Coordenação local, no Cento de Treinamento D. Luiz Gonzaga Fernandes, preparando o 10º Encontro Nacional Fé e Política, que acontecerá de 22 a 24 de abril de 2016 em Campina Grande, na Paraíba. Houve reflexões sobre a realidade e a conjuntura mundial, do Brasil e América Latina: as mudanças climáticas, a encíclica do Papa Francisco, Laudato Si’, as mobilizações sociais por todos os cantos, a crise econômica, social, política, ambiental e de valores, os impasses da política, os dilemas do governo federal e governos em geral, as ações pastorais das igrejas, a emergência social e política do Nordeste e do Semiárido brasileiro.

Boa nova. O Nordeste e o Semiárido brasileiro estão cheios de práticas e experiências que correm o mundo: o Programa Um Milhão de Cisternas, P1MC, água para beber, o Programa Uma Terra e Duas águas, P1+2, água para produzir, num grande mutirão comunitário e pedagógico de como se relacionar com a água e a natureza, de como construir coletivamente soluções para o que parecia sem solução, de como,de forma solidariae consciente, criar laços e organização popular, num projeto de desenvolvimento inclusivo e sustentável.Disse certa a agricultora familiar Irene Santos de Jesus, de Serrinha, Bahia: “Uma cisterna não é apenas uma cisterna. É autonomia, é ter vez e voz, é mandar em si mesmo, é saber que a seca não é produto de um Deus inclemente, ou situação com a qual não se pode conviver bem.”

Ou as Sementes da Paixão, na Serra da Borborema, “sementes crioulas conservadas por agricultores familiares, quilombolas, indígenas e outros povos tradicionais e que, ao longo de milênios, vêm sendo permanentemente adaptadas às formas de manejo dessas populações e aos seus locais de cultivo” (As Sementes da Paixão e as Políticas de distribuição de sementes na Paraíba – Sementes locais: experiências agroecológicas de conservação e uso. Caderno da ANA (ArticulaçãoNacional de Agroecologia) e ASA/PB (Articulação do Semiárido paraibano), 2014). Ou a ASA (Articulação do Semiárido),e suas centenas de organizações populares, movimentos sociais, ONGs e comunidades. Ou a resistência do OcupeEstelita, movimento social e cultural que defende o marco histórico de Recife, não deixando que a especulação e o lucro destruam os espaços de convivência e de cultura popular.

Boa Nova. O tema do 10º Encontro Nacionalé: BEM VIVER – ÁGUAS DA SOLIDARIEDADE E SEMENTES DE ESPERANÇA. Significa tudo o que está acontecendo no Nordeste e no Semiárido brasileiro, a solidariedade brasileira e latino-americana, a esperança que o povo alimenta sempre, o ecumenismo do Fé e Política, as experiências de raízes populares, a cultura em todas as suas dimensões, a festa, a religiosidade e a fé.

Boa Nova. O 10º Encontro terá testemunhos de vida, falas sobre a Espiritualidade do Cuidado com a Vida, plenárias temáticas sobre Grandes Projetos, Decrescimento e Economia Solidária, Agroecologia, Sementes e segurança alimentar, Bem Viver, Crise climática, Matriz energética, Juventude, Movimentos sociais: memórias e novos desafios, Terra e Territórios tradicionais, Caminhada das igrejas no Nordeste, Espiritualidade militante, Culturas, Mulheres, Resíduos urbanos e alternativas, Espaço urbano e direito à cidade, entre outros tantos temas e debates que cada um dos milhares de participantes vai trazer.

Boa Nova. Caravanas de todo país começam a ser organizar. Do Rio Grande do Sul, de São Paulo, do Acre, do Mato Grosso do Sul, do Espírito Santo, do Rio de Janeiro e de todos os rincões, vales, florestas e recantos. De ônibus, de avião, até a pé. As águas da solidariedade e as sementes de esperança vão se encontrar e se conhecer de 22 a 24 de abril de 2016, em Campina Grande, Paraíba, vão cantar os mesmos hinos, vão sonhar lado a lado. Até lá.

Selvino Heck

Membro da Coordenação Nacional do Movimento Fé e Política

Em dezenove de junho de dois mil e quinze

VEJA TAMBÉM