Carta do 6º Fórum Regional de Fé e Política

Casa Comum, nossa Responsabilidade
“Ai de quem usa o poder para oprimir” (Mq 2,1)

O Movimento Fé e Política Litoral, composto por membros de municípios de nossa região, como Macaé, Rio das Ostras, Conceição de Macabu, realizou no dia 17 de setembro de 2016, na cidade de Macaé, o 6º Fórum Regional de Fé e Política, à luz do tema “Casa Comum, nossa Responsabilidade” e inspiração bíblica “Ai de quem usa o poder para oprimir” (Mq 2,1). O tema remete à Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano sobre o cuidado com o meio ambiente, principalmente, no que se refere à água potável, saneamento básico e resíduos sólidos.

A partir das reflexões propomos algumas iniciativas as quais compartilhamos a fim de que, enquanto cidadãos e cidadãs, agentes políticos, candidatos a cargos executivos e legislativos possamos dar passos significativos no compromisso com o bem das pessoas e do meio ambiente do qual somos parte.

  • A crise econômica em nosso país e municípios deve-se, não somente à crise do sistema capitalista a nível internacional, mas também ao mau uso do dinheiro público que tanto serviu a grupos dominantes e a interesses particulares.

  • Os gestores públicos devem tomar consciência da grave crise e buscar soluções e alternativas para a economia regional e local.

  • Os gestores públicos, legislativo e executivo, devem escutar a população, para tomarem conhecimento de suas reais demandas e investir os esforços no atendimento das mesmas.

  • As cidades da região devem buscar juntas as soluções em forma de um diálogo construtivo e propositivo, as quais sofrem basicamente das mesmas consequências em toda a região, com raras exceções.

  • É fundamental desenvolver políticas sociais e agrárias para diminuir as desigualdades econômicas no campo e nos centros urbanos.

  • Priorizar nas ações legislativas e executivas o cuidado com o meio ambiente, observando as leis vigentes, bem como garantir que a população tenha acesso à água potável de qualidade e que se invistam nas obras e serviços de saneamento básico em todo o município.

  • Promover e aprofundar uma verdadeira democracia participativa e transparente que leve em conta nas ações administrativas os interesses da população, especialmente, daquela parcela mais pobre do município.

  • Dialogar e refletir sobre política e propostas para a cidade não apenas em período de eleições, mas constantemente, através dos conselhos municipais, conferências e outras iniciativas de participação do cidadão na construção de políticas públicas.

  • Garantir democraticamente os espaços que efetivem a pluralidade de ideias e opiniões.

  • Superar a ética individual e a cultura do ‘meu’ para refletir e agir comunitariamente na política, na igreja, nos movimentos, nos partidos, nas associações de bairros, etc.

  • Fomentar as formas de economia solidária e possibilitar maior distribuição de renda.

  • Proporcionar o acesso gratuito à internet nas comunidades, praças e periferias garantidas pelo poder público.

  • Criação de fóruns municipais e regionais para que se tenha uma imprensa mais livre e democrática e não a serviço de grupos dominantes ou partidos políticos.

  • Promover a criação de Conselhos Municipais de Comunicação.

  • Propor e executar alternativas de comunicação comunitárias tais como jornal mural, web rádio, rádio comunitária, etc.

No seguimento de Jesus Cristo, com os pés no chão da nossa história, conscientes de nossa participação na construção da cidade que sonhamos e queremos, colocamo-nos a serviço da vida pelos caminhos de uma verdadeira Política do Bem Comum.

Macaé, 17 de setembro de 2016.
Movimento Fé e Política Litoral

Responsive image
Responsive image
Responsive image
Responsive image